Sabermídia











{outubro 5, 2010}   web web 2.0 web 3.0 wii youtube

HTML de 1 à 5

Acompanhe a evolução da linguagem HTML, desde os seus antecedentes passando pelas versões 1 à 5 intercaladas pelo XHTML

:-)

1980

Os principios fundamentais do HTML nasceram a partir de um primitivo modelo de hipertexto conhecido como ENQUIRE, escrito em linguagem PASCAL, no
CERN (Conseil Européen pour la Recherche Nucléaire – Organização Européia para a Pesquisa Nuclear ) através das pesquisas de Tim Berners-Lee que na época trabalhava na divisão de computaçao da instituição.

1990

Com o auxílio de Robert Cailliau, Tim Berners-Lee constrói o primeiro navegador / editor, chamado então de WorldWideWeb, e cria o protocolo HTTP (Hypertext Transference Protocol – Protocolo de Tranferência de Hipertexto) para distribuir conteúdo na rede.

O HTTP era alimentado com uma nova linguagem de marcação, o HTML – baseado no SGML (Standard Generalized Mark-up Language ), uma linguagem amplamente aceita para a estruturação de documentos e da qual o HTML herdou as tags de título, cabeçalho e parágrafo. A grande novidade era a marcação A com o elemento HREF que permitia a ligação ( link ) entre vários documentos.

Um dos mais antigos documento HTML (1990) explicando a tag A está disponível em :

http://www.w3.org/History/19921103-hypertext/hypertext/WWW/Link.html

1992

O programador Marc Andreessen, que logo fundaria Netscape, inicia o projeto de seu próprio navegador : O Mosaic. Em dezembro de 1992, Andreessen que agora participa de uma lista de discussão mundial (WWW-talk ) para difundir as propostas de Lee sobre o HTML, propõe a implementação de uma tag para imagens, a tag IMG.

1993

Em 1993, um documento chamado “Hypertext Markup Language” foi publicada pela IETF(Internet Engineering Task Force). Neste mesmo ano o navegador Mosaic foi lançado, permitindo a exibição de imagens, listas e formulários.

1994

É realizada em Genebra a primeira conferência mundial sobre web, a World Wide Web Conference, da qual surge a especificação HTML 2.0. Marc Andreessen e Jim Clark fundam a Netscape Communications apontando para o nascimento do primeito navegador de alcance global. No final de 1994 é criado o W3C (World Wide Web Consortium – Consórcio World Wide Web) para coordenar o desenvolvimento de padrões abertos para a web.

1995

O HTML 2.0 é oficialmente publicado. Em paralelo, Dave Raggett publica um primeiro rascunho do HTML 3.0, incluindo tabelas e suporte para folhas de estilo. A Microsoft apresenta seu navegador, o Internet Explorer, para concorrer com o Netscape. Começa a “Guerra dos Browsers”

1996

O W3C cria um novo grupo, o o HTML Editorial Review Board, com o objetivo de padronizar o desenvolvimento de padões para a web, pois Netscape e Microsoft divergem sobre uma série de questões. A tag OBJECT aparece neste ano e W3C começa o desenvolvimento de uma nova versão da linguagem HTML chamada Cougar. Ela seria o embrião do HTML 4

1997

O W3C atualiza, agora oficialmente, o HTML 2.0 para a versão HTML 3.2, que incluia tabelas e applets Java. Neste mesmo ano, em dezembro, a especificação 4.0 do HTML foi publicada como uma recomendação do W3C, incorporando o uso de folha estilos ( CSS )

1999

Em dezembro é publicado o HTML 4.01 buscando a compatibilidade com as versões anteriores através de 3 implementações : strict (estrita) – na qual os elementos obsoletos ficam proibidos, transitional (transitória) – na qual são permitidos alguns elementos obsoletos, e frameset para sites com frames. Seu reinado seria longo.

2000

O XHTML 1.0 é publicado em janeiro de 2000, apoiado no XML, faz uso de uma sintaxe mais rigorosa e fortalece a divisão entre camada de conteúdo e camada de apresentação

2001

Em maio de 2001 a especificação XHTML 1.1 é lançada oferecendo recursos de modularização.

2002

Entre os anos 2002 e 2006, o W3C apresenta 8 rascunhos do XHTML 2.0 estruturados de modo não compatível nem com XHTML 1.0 nem com HTML 4.0, fato que causou polêmica entres desenvolvedores e fabricantes.

2004

Os desenvolvedores das empresas Opera e Mozilla mostram-se insatisfeitos com o caminho proposto pelo W3C em relação ao fututo da web com a especificação do XHTML 2.0 e, juntamente com a Apple, formam o WHATWG ( Web Hypertext Application Technology Working Group) que em breve seria integrado também pelo Google.

2006

A atuação do WHATWG é reconhecida pelo W3C, que até então caminhavam separadamente. Tim Berners-Lee anuncia que trabalhará em parceria com o WHATWG.

2007

Apple, Mozilla e Opera solicitam que o W3C reconheça e aprove oficialmente o trabalho desenvovido pelo WHATWG com o nome de HTML 5.

2008

O HTML 5 é publicado como um projeto de trabalho (Working Draft) pelo W3C.

2009

O grupo de desenvolvimento responsável pelo XHTML 2.0 é encerrado.

2010

W3C  Oferece cursos de html5 do qual participa a Editora Educadora Ecoaecoa

link dos conteúdos do curso:

http://www.w3c.br/cursos/html5/conteudo/


Referências :



{janeiro 4, 2010}   Tutorial básico de GIMP

Elaborei um novo tutorial básico de GIMP para o Curso:

– Tecnologia da Informação: Computação e comunicação, Softwar Livre no Sopapo, que será ministrado em parceria com a educadora popular Vânia Pierozan durante os primeiros 3 meses de 2010 no Ponto de Cultura Quilombo do Sopapo em Porto Alegre.

Mais informações acesse o blog do ponto:

http://quilombodosopapo.blogspot.com/

Clique aqui para fazer download do tutorial básico de GIMP



{setembro 14, 2009}   Mini-curso de GIMP dia 1º de out

Participe do mini-curso gratuito de GIMP – Edição de Imagens e Fotografias, que ministrarei pela segunda vez no Fórum de Tecnologia em Software Livre que acontecerá em Porto Alegre às 14 horas do dia 1° de outubro na sede da SERPRO.

Conteúdo programático:

Formatos de documentos de imagem; Pixel; A interface do GIMP; Configuração de abas e janelas; Camadas; Opacidade para marca d’água; Edição de fotografias – nívies e cores; Ferramentas de cores: Como fazer máscaras para stencil no GIMP; Ferramentas para edição de fotografias; Pincéis; Ferramenta de texto; Importação de imagem; União de camadas; Filtros: Como fazer fractais no GIMP; Salvar imagem: Resolução e qualidade.

http://www.softwarelivre.serpro.gov.br/portoalegre/mini-cursos/gimp-edicao-de-imagens-e-fotografias

Espero que se divirtam!

Abrazzo

Alissa

Veja aqui o resultado do mini curso:

http://nucleoartedigitallivre.blogspot.com/



fonte: http://redesul.org.br/

Espaço para discussões e debates e também para troca de conhecimentos. Paralela aos fóruns sobre pontos de cultura do Encontro Regional, aconteceu a oficina de web, ministrada pela oficineira do Pontão de Cultura Digital Minuano, Alissa Gottfried. Durante dois dias do evento, cerca de vinte pessoas de diversos pontos de cultura se reuniram para aprender a tratar imagens em softwares livres, a utilizar ferramentas colaborativas, além de elaborar cartazes e cartões de visitas para seus projetos e pontos.

De acordo com Alissa, o foco da oficina é atender as dificuldades e necessidades individuais dos participantes. “ O primeiro dia não propus um cronograma para a oficina, pois queria ajudar os participantes a produzir ou estudar as ferramentas livres que estivessem precisando” declara a oficineira. Como um estímuloalissa à construção colaborativa de conhecimentos, Alissa também apresentou o blog Curso de Gráfico Livre onde ela está estruturando os conteúdos reunidos no decorrer das suas oficinas de gráfico e web.

Outra temática debatida na oficina foi a articulação do Movimento Feminino de Pesquisa, Produção e Multiplicação da Cultura Digital Popular Sul. As meninas que propuseram a criação do Movimento ainda elaboraram o blog de Cultura Digital Sul onde são postados assuntos relacionados à cultura digital. Interessadas em colaborar com os conteúdos do blog devem eviar sua matéria com foto em anexo por mail para: ecoaecoa.culturadigitalsul@blogger.com

PS. Sua mensagem é postada automaticamente através desse endereço acima.

CLique aqui para ver fotos da oficina no encontro

Por Fabiane Berlese
Jornalista Pontão Ganesha



Estão abaixo minhas consideração e ajuda para a avaliação produtiva do Minuano.

Qualquer questão sobre vamos conversando!


Considerações sobre pontos positivos e negativos do projeto desde o iniÍio até o fim e relato crítico para avaliação geral apartir do projeto Pontão Minuano aprovado pelo Minc no primeiro edital.


Por Alissa Gottfried


Pontos Positivos:


  • Produção de distribuição do Live CD com a distribuição Ubuntu e os 4 cursos do Minuano.

  • O contato com os pontos de cultura da região sul.

  • Atividades realizadas com a Casa Brasil de Porto Alegre, Quilombo do Sopapo, CMID Santa Maria, SERPRO, X Feira Estadual de Economia Solidária, Festa da Biodiversidade, Rede dos Pontos Teia, Sindicato dos Bancários, Rede ABRAÇO, Fórum de Segurança da zona noroeste, Conferência de Comunicação em Curitiba, Fórum dos Pontos em São Lourenço e no fisl 9.0, Oficina de Inclusão Digital, Fórum Social Mundial, Campus Party.

  • Empréstimos dos equipamentos para o Ponto Quilombo do Sopapo e outros.

  • A certificação de 120 pessoas no curso de gráfico (não sei numero dos outros cursos)

  • Transporte e diarias para os pontos de cultura para garantir a participação nos fóruns dos Pontos.

  • Reuniões de planejamento estratégico no inicio do projeto com a rede de projetos envolvidos.

  • Oficinas integradas ou não com outros projetos (ABRAÇO, Quilombo, Casa Brasil, …) para o público alvo, no Minuano, eventos e Pontos.

  • Participação de toda a equipe no Teia Nacional em Brasilia.


Pontos Negativos ou não proveitosos:


  • Não formação do conselho gestor e concretização das parcerias com projetos de interesse comum com o projeto.

  • Falta de metodologia da coordenação do projeto

  • Falta de planejamento e deliberações em equipe em eventos e atividades como Campus Party.

  • Muito pouca documentação jornalistica.

  • Muita energia disperdiçada pela equipe em críticas e biocotes e pouca ação direta e pró-ativa pelo grupo.

  • Falta de avaliações construidas pelo grupo, ASL, colaboradores e público alvo durante o processo do projeto e participação em eventos.

  • Demora da compra dos equipamentos e dos materiais para as oficinas.

  • Contratação de arte gráfica para evento apenas com software proprietário da melhor educanda e possível multiplicadora do curso de gráfico do Minuano (Durante o curso ela migrou para estudar e depois desse fato abandonou o Ubuntu e voltou a usar software proprietário).

  • Ausências da coordenação nas rodas do fórum dos pontos e organização do evento em Rio do Sul.

  • Instabilidade da equipe de educadores. (passaram 4 pessoas no curso de metareciclagem como educadores)

Relato Crítico:


Começando do início, sobre a construção da proposta de ação do projeto foram bastante positivas as reuniões iniciais de planejamento estratégico com um grupo preparado para formar um conselho gestor para o Minuano, as reuniões tiveram uma metodologia eficáz mas a atividade não foi concluida.


As reuniões pedagógicas também foram bem aproveitadas no inicio, o grupo conseguiu construir táticas de ação inteligentes, houveram documentações e a equipe estava unida ainda.


Vim colaborando com o trabalho da cultura digital desde 2007 como educadora popular então acompanhei mais de perto processo até o Minuano e talvés porisso me convidaram para assumir a educomunicação livre em arte gráfica. Pensei que não poderia assumir pois trabalhava em 2 projetos meus de arte e educação popular. Mesmo assim houveram pedidos da equipe que fosse eu ao invés da artista gráfica Silia Moan a educadora, mesmo eu não tendo experiência com arte gráfica em software livre. Então com a minha contratação pela ASL foi priorizada a educomunicação com linguagem popular ao invés do domínio em si das ferramentas livres e técnicas para arte gráfica.


A questão dos meus outros dois projetos foi negociada e consegui conciliar o 3 projetos por 3 meses, dediquei-me bastente auto-didaticamente, fui aprendendo e já construindo o curso para o Moodle. Me mantive em contato com pessoas referências na arte gráfica com software livre pela rede e nos eventos.


De fato posso dizer que vesti a camiseta do projeto desde o inicio até hoje, mesmo com altas opressões que me fizeram queres desistir principalmente do oficineiro de vídeo que gerou problemas absurdos de comunicação na equipe. Muito dos problemas internos surgiram assim mas até o meio do projeto quando houve uma quebra drástica na equipe de um lado os coordenadores tentando controlar tudo e todos e do outro as outras pessoas da equipe que se sentiam muito mal com isso. Minha postura nesse tempo todo foi de distanciamento das brigas e críticas pesadas e indiretas para conseguir trabalhar e me dedicar a causa e aos pontos de cultura.


Só assim consegui desenvolver um trabalho muito proveitoso para mim e para os pontos (segundo a avaliação de alguns pontos no encontro da cultura digital em Rio do Sul). Sempre estive trabalhando de boa vontade e propondo o trabalho em equipe. Até no Campus Party onde mesmo tendo pessoas ligadas a ASL organizando o evento não foi oferecido um espaço mínimo para desenvolvermos oficinas ou qualquer atividade. Lá no evento organizei 2 barcamps com desenvolvedores e expertes em arte gráfica em software livre além dos interessados, articulei meios para mim e outros colegas darem oficinas no espaço da Inclusão Digital onde realizei oficinas durante 4 dias do evento.


Quando o Minuano por problemas logísticos externos não conseguiu realizar as oficinas em Santa Catarina por causa das enchentes desenvolvi um projeto com o Ponto de Cultura Artestação que é uma escola de arte gráfica no Cassino em Rio Grande. A atividade proposta como um oficinão de arte gráfica e comunicação, áudio e metareciclagem teve a participação como oficineiro do líder do Laboratório de Mídias Sociais da Unicamp, o Bruno Neyra que trabalhou como metarecicleiro na atividade que durou 4 dias de oficinas integradas no Ponto com implementeação em software livre, uma mimosa feita com máquinas doadas pelo Sindbancários e apresentação das ferramentas livres com uma didática literária.


De todas as pessosa da equipe a única que trabalhou em equipe comigo foi o oficineiro de áudio Henrique Guntzel. Trabalhamos juntos também com o Josué Lopes da Rede ABRAÇO, efetivando a parceria do Minuano com a Rede ABRAÇO, no curso de Comunicação Comunitária com os participantes, inclusive a coordenadora do Fórum de Segurança da zona noroeste.


A principio esse curso teria apenas algumas oficinas que ficaram totalmente a critério dos educadores decidir como queriam desenvolver. Trabalhei com jornalismo comunitário e blog livre e o Henrique com oficinas sobre implementação de rádio-difusão e linguagem radiofônica. As oficinas se tornaram encontros frequentes uma ou duas vezes por semana no Minuano durante dois meses até a cobertura da Conferência Livre de Segurança, que aconteceu agora dia 23 de maio, onde concluo minhas atividades como educadora do Pontão Minuano.


Quis falar como colaboradora além de integrante da equipe já que vim participando da cultura digital também estive nos encontros estratégicos do Minuano.

Muito resumidamente é isso. Agora estou produzindo o portifólio dos produtos para também servir para a avaliação do Projeto.


Alissa Gottfried

Educadora Popular Digital

Ponto de Cultura Odomode/Pontinho de cultura Curiosa’Idade

alissa@softwarelivre.org

(51) 9100 4945



alissa Abaixo o link do curso-wiki de arte gráfica  migrado do ead de Minuano com PDF pra download:

https://ecoaecoa.wordpress.com/curso-de-graficolivre/

A wiki dele está aqui.

http://estudiolivre.org/tiki-index.php?page=Usu%C3%A1rio_alissagott

Partycipe da produção desse tutorial se apropriando das ferramentas livres citadas nele…

Continuamos a Escola Auto-didata linkando nossos blogs…

Programa inicial do curso:

https://ecoaecoa.wordpress.com/programa_oficina_grafico/

Abraço Sináptico

Alissa



Estou ministrandono evento o curso:

GIMP – Edição de imagem e fotografias:

Cronograma:

Formatos de documentos de imagem; Pixel; A interface do Gimp; Configuração de abas e janelas; Camadas; Opacidade para marca d’água; Edição de fotografias – nívies e cores; Ferramentas de cores: Como fazer máscaras para stencil no gimp; Ferramentas para edição de fotografias; Pincéis; Ferramenta de texto; Importação de imagem; União de camadas; Filtros: Como fazer fractais no gimp; Salvar imagem: Resolução e qualidade.

Carga Horária:

3h

mais informações: https://www.pae.softwarelivre.serpro.gov.br/2008/convidados/alissa-gottfried



http://jedi.wv.com.br/

http://www.4linux.com.br/

http://www.hackerteen.com/pt-br/cursos



et cetera