Sabermídia











Curso-wiki de Gráfico Livre

eadok1

….Imagem produzida com o aplicativo vetorial livre Inkscape por Alissa Gottfried

A oficina de gráfico é um convite ao estudo coletivo de aplicativos desenvolvidos em software livre utilizados para expressão visual e escrita e também dinâmicas das artes gráficas… Exploremos as possibilidades e demandas de produção com Pontos, com a comunidade em diálogo com a cultura de colaboração, comunicação comunitária, produção cultural, economia solidária e Licença Arte Livre, facilitando a imersão nos universos Software Livre, Internet e Cultura Livre.


A wiki deste curso está aberta às colaboração no link:

http://estudiolivre.org/tiki-index.php?page=Usu%C3%A1rio_alissagott

download do PDF:

escola-auto-didata-ead-sabermidia

\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/

Curso de Gráfico Livre

Índice

0. Proposta

1. Lista de aplicativos livres e plataforma de blog livre

1.1 WordPress

1.1.2 O que é e quais as possibilidades de um blog?

1.2 GIMP

1.3 Inkscape

1.4 Scribus

1.5 Pacote BrOffice

1.6 Phatch

1.7 UniConvertor

1.8 Blender3d

2. WordPress – Blog livre como ambiente da Escola Auto Didata

2.1 Como fazer meu blog livre

2.2 Como gerenciar seu o blog

2.2.1 Tema

2.2.1.2 Personalizar cabeçalho

2.2.2 Post

2.2.2.1 Editar Post

2.2.3 Página

2.2.4 Links

2.2.5 Incluir colaboradores

2.2.6 Incluir recursos

2.2.7 Interatividade

2.2.7.1 Comentários

2.2.7.2 Contato e chat

2.3 Extras

2.4 Exemplos

3. Migração de Pinguins

3.1 O que é software Livre

3.2 Movimento Software Livre

3.3 O que é uma distribuição

3.4 Como migrar

3.5 Pegagogia Hacker

3.6 Comunidades

3.7 Cultura de Colaboração

3.7.1 Wiki

3.7.1.1 Canais para propor uma wiki

3.7.1.1.1 Estudio Livre

3.7.1.1.2 Mediawiki

3.8 Redes

3.9 Canal de difusão da cultura popular e digital brasileira:

3.9.1 ITeia

4. Software Livre & Arte Gráfica

4.1 Cultura Livre

4.1.1 Licença arte livre

4.1.2 Outras licenças

4.1.2.1 Creative Commons

4.1.2.2 Reportagem do RadarCultura explica como funciona essa licença:

4.1.2.3 Site do projeto

4.2 Arte Gráfica

4.2.1  Design Grágico/Visual

4.2.2 Apresentação de slides sobre a história das artes gráficas

4.2.3 Formatos de arquivos

4.2.3.1 Conheça muitos tipos de formatos no artigo da Wikipédia

4.2.3.2 PDF’s sobre imagem digital

4.2.4 Teoria das cores

4.2.5 Modelos de cor

4.2.5.1 CMYK – Sistema de cores utilizado em gráfica e pigmentos

4.2.5.2 RGB

4.2.5.3 HSB

4.2.5.4 RYB

4.2.5.5 HSV

4.2.5.6 Lab

4.2.6 Sistema de cores e suas equivalências

4.2.6.1 Paletas

5. GIMP

5.1 Como instalar

5.1.1 Usuários GNU\LINUX

5.1.2 Quem ainda não usa GNU\LINUX

5.2 Interface gráfica

5.3 Versão

5.4 Ferramentas

5.5 Recursos

5.5.1 Novo documento

5.5.2 Edição de cores

5.6 Canais de diálago

5.6.1 Camadas

5.6.2 Histórico do desfazer

5.7 Navegabilidade

5.8 Salvar

5.8.1 Resolução

5.9 Exercícios sugeridos

5.9.1 Fractalizando o GIMP

5.9.2 Cara a Cara com a Pop Arte

5.9.3 Edição de cores e cortes de imagens no Gimp, por Tárcio Fonseca

5.10 Extras

5.10.1 Vídeo-aulas sobre GIMP

5.10.1.1 Assintindo na web – para quem tem banda

5.10.1.2 Download das vídeo-aulas

5.10.2 GIMPZine

5.10.3 Site oficial

5.10.4 Comunidade GIMP

5.10.5 Documentação livre

6. Inkscape

6.1  Ferramentas

6.2 Recursos

6.3 Vetor

6.4 Exercícios

6.4.1 Como fazer seu cartão de visita usando Inkscape:

7. Scribus

7.1 Diagramação

7.2 Tutoriais

8. BrOffice

9. Exercício final

#. Créditos

#.1 Curso inspirado e baseado em

#.1.1 Artigos dos Direitos Humanos:

#.1.1.1 Artigo XXVII

#.1.1.2 Artigo XXVIII

#.1.1.3 Artigo XXIX

#.1.2 Curso de Gráfico do Estudio Livre

#.1.3 Projeto de pesquisa Casa Brasil

#.2 Elaborado por

#.2.1 Alissa Gottfried

Educadora do Pontão Minuano\ASL

alissa@softwarelivre.org


Participe na colaboração de arte-documentação wikizando esse curso!

\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/

0. Proposta

A oficina de gráfico é um convite ao estudo coletivo de aplicativeiculares desenvolvidos software livre-se utilizados para expressão visual e escrita ligadas e também dinâmicas, ou seja, as artes gráficas…Explorando as possibilidades e demandas de produção com Pontos e comunidades em diálogo com a cultura de colaboração, comunicação comunitária, produção cultural, economia solidária e Licença Arte Livre, facilitando assim a imersão nos universos Software Livre, Internet e Cultura Livre.

PS: [“>” quer dizer clique em].

PS*: Wiki quer dizer produção e estudo colaborativo, ou seja diversão de grupo em arte-documentar!

PS@: Para melhorar esse curso você pode usar a wiki dele, mandar por mail ou postar nos comentários no fim desta página.

1. Lista de aplicativos livres e plataforma de blog livre

1.1 WordPress

Software de publicação pessoal [blog ou página web simples], com foco na estética, nos Padrões Web e na usabilidade. O WordPress é ao mesmo tempo um software livre e gratuíto.

1.1.2 O que é e quais as possibilidades de um blog?

Um weblog, blog, blogue ou caderno digital é uma página da Web, cuja estrutura permite a atualização rápida a partir de acréscimos de tamanho variável, chamados artigos, ou postagem). Estes são organizadas cronologicamente de forma inversa (como um diário) costumam abordar a temática do blog, e podem ser escritos por um número variável de pessoas, de acordo com a política do blog.

O weblog conta com algumas ferramentas para classificar informações técnicas a seu respeito, todas elas são disponibilizadas na internet por servidores e/ou usuários comuns. Os sistemas de criação e edição de blogs são muito atrativos pelas facilidades que oferecem, pois dispensam o conhecimento de HTML, o que atrai pessoas a criá-los.

1.2 GIMP

Ferramenta para criar ou editar imagens e fotografias.

1.3 Inkskape

Editor de imagem vetorial

1.4 Scribus

Ferramenta para diagramação de livros, revistas ou jornais.

1.5 Pacote BrOffice

Pacote de ferramentas relacionadas a edição de texto, apresentação de slides, planilhas, etc.

1.6 Phatch

Software para redimensionamento de imagens em grande escala. Para instalá-lo no GNU\Linux clique em SISTEMA > ADMINISTRAÇÃO > GERENCIADOR DE PACOTES SYNAPTIC. No gerenciador clique em PROCURAR e escreva na caixinha o nome do software livre que você quer instalar. Surgindo algumas opções marque as que forem correspondente ao software que você produra, no caso Phatch. Clique no ícone acima APLICAR > APLICAR e espere baixar (para fazer instalações nesse sistema você necessáriamente deve estar conectado a net).
Depois de instadado você o encontra em APLICATIVOS > GRÁFICOS

1.7 UniConvertor

Converte documentos formatos proprietários em formatos livres possibilitando a edição do documento nas ferramentas livres.

http://www.estudiolivre.org/tiki-index.php?page=UniConvertor&bl

1.8 Blender3d

Software para animação com modelagem 3d.

———————

2. WordPress – Blog livre como ambiente da Escola Auto Didata

Você sabe da onde veio o termo blog?

A definição clássica afirma que blog é um diário mantido por qualquer um na internet. A palavra parece ter surgido pela primeira vez em 1997, quando o internauta John Barger chamou seu diário pessoal na rede de “weblog”, algo como “registro na web”. Em 1999, outro navegante resolveu fazer uma brincadeira. Quebrou o termo em dois, para gerar o trocadilho “we blog”, ou “nós ‘blogamos’”. Aí a palavra “blog” pegou. Tornou-se sinônimo de qualquer diário ou registro mantido na internet. Você vai lá, escreve um texto, publica uma foto, um filme, põe links para o que mais julgar interessante na rede e pronto. Está feito seu blog, pois na internet eles se transformaram em manifestações públicas e coletivas. Um faz referência ao outro, comenta o outro, se inspira no outro. E esse “relacionamento” de blogs ficou conhecido como blogosfera.

Existem muitas formas de usar um blog, uma delas é como uma comunidade de produção de conteúdos de um determinado assunto. Além de você disponibilizar seus conteúdos fazer isso de forma colaborativa é uma boa maneira de utilizar um blog. Seu blog pode continuar sendo alimentado reunindo matérias com o a imagens sem esquecer dos créditos e das fontes.

Tente definir o que tipo de informações você quer tratar em seu blog, qual é o assunto do seu blog. Isso é uma questão de identidade, afinal de contas o resultado do que somos está diretamente ligado ao que pensamos e isso é ARTE!
Aproveitando a dinâmica desse curso proponho que você crie um blog para reunir seus exercícios e estudos além de explorar o potencial colaborativo do blog como Escola Auto Didata.

2.1 Como fazer meu blog livre

Para iniciar uma conta de blogs no WordPress acesse o link:

http://pt-br.wordpress.com/

depois clique em cadastre-se agora.

Preencha os primeiros passos lembrando que esse cadastro será ligado a sua conta de email e será seu login geral para conta de blogs no WordPress.

2.2 Como gerenciar o blog

Seu blog será gerenciado através dos recursos no painel:

painel

Veja com calma cada uma das opções listadas no lado esquedo do painel

2.2.1 Tema

2.2.1.2 Personalizar cabeçalho

2.2.2 Post

Post ou postagem significa o texto principal do seu blog onde, assim como numa página você pode inserir foto, áudio, vídeo, enquete, ou outras mídias.

cortar-e-por-a-foto-no-blog

2.2.2.1 Editar Post

editar-post2

2.2.3 Página

2.2.4 Links

2.2.5 Incluir colaboradores

2.2.6 Incluir recursos

2.2.7 Interatividade

2.2.7.1 Comentários

2.2.7.2 Contato e chat

Crie uma página para interatividade e colaboração disponibilizando informações como:

– Endereço de e-mail;

– Chat ou Bate-papo disponibilizando o mail usado em alguma das contas para isso: amsn, msn, gtalk, skype, pidgin, …

– Galerias utilizadas: Picasa, Fliker, Devianart, …

– Rede de relacionamentos: Orkut, BookFaces, …

– Sites ou outros blogs autorais.

– Outros links e recursos.

2.3 Extras

Assista este vídeo sobre as transformações que a informática e a web vem causando nas nossas vidas:

Mostra do vídeo: Humanização da máquina/mecanização do homem:

http://br.youtube.com/watch?v=nvQDXPQcUb0

2.4 Exemplos:

Veja um bom exemplo de blog sobre quadrinhos e cultura livre feito pelo Karlisson:
http://nerdson.com/blog/

Neste exemplo você pode ver as possibilidades de modificação dos temas dados. Só que pra fazer isso é necessario mexer no código que no WordPress é aberto. É isso que o torna software livre, a possibilidade de conhecer o código e alterá-lo.

^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^

3. MIGRANÇÃO DE PINGUINS

ping_div

Filhotes de pingüim imperial

http://www.linuxnewmedia.com.br/images/uploads/pdf_aberto/EL06_editorial.pdf

3.1 O que é software Livre

Software livre, segundo a definição criada pela Free Software Foundation é qualquer programa de computador que pode ser usado, copiado, estudado, modificado e redistribuído sem nenhuma restrição. A liberdade de tais diretrizes é central ao conceito, o qual se opõe ao conceito de software proprietário, mas não ao software que é vendido almejando lucro (software comercial). A maneira usual de distribuição de software livre é anexar a este uma licença de software livre, e tornar o código fonte do programa disponível.

3.2 Movimento Software Livre

Os desenvolvedores de software na década de 70 frequentemente compartilhavam seus programas de uma maneira similar aos princípios do software livre. No final da mesma década, as empresas começaram a impor restrições aos usuários com o uso de contratos de licença de software. Em 1983, Richard Stallman iniciou o projeto GNU, e em outubro de 1985 fundou a Free Software Foundation (FSF). Stallman introduziu os conceitos de software livre e copyleft, os quais foram especificamente desenvolvidos para garantir que a liberdade dos usuários fosse preservada.

Para o Movimento do software livre, que é um movimento social, não é ético aprisionar conhecimento científico, que deve estar sempre disponível, para assim permitir a evolução da humanidade. Já o movimento pelo Código Aberto, que é um movimento mais voltado ao mercado, prega que o software desse tipo traz diversas vantagens técnicas e econômicas. O segundo surgiu para levar as empresas a adotarem o modelo de desenvolvimento de software livre.

Como a diferença entre os movimentos “Software Livre” e “Código Aberto” está apenas na argumentação em prol dos mesmos softwares, é comum que esses grupos se unam em diversas situações ou que sejam citados de uma forma agregadora através da sigla “FLOSS” (Free/Libre and Open Source Software).

3.3 O que é uma distribuição

3.4 Como migrar

Se você optou em instalar o UBUNTU veja nos links abaixo vários aplicativos e tutoriais que facilitarão sua vida durante a adaptação.

Neste link vocês encontraram uma proposta para usuários de software livre que queiram ajudar qualquer pessoa a migrar para software livre.

http://nq6.blogspot.com/2008/12/no-entregue-s-o-linux-entregue-tambm.html

ubuntu

Clique nos dois links opontados na imagem acima para conhecer e instalar o UBUNTU.

3.5 Pegagogia Hacker

3.6 Comunidades

3.7 Cultura de Colaboração

3.7.1 Wiki

http://pt.wikipedia.org/wiki/Wiki

3.7.1.1 Canais para propor uma wiki

3.7.1.1.1 Estudio Livre

Após explorar o ambiente para colaboração Estudio Livre faça seu cadastro e você poderá iniciar uma wiki e publicar vídeos, livros, imagens e áudios de sua autoria no link:

http://estudiolivre.org/

3.7.1.1.2 Mediawiki

http://www.mediawiki.org/w/index.php?title=Special:UserLogin&uselang=es&returnto=MediaWiki

3.8 Redes

http://pt.wikipedia.org/wiki/Peer-to-peer

3.9 Canal de difusão da cultura popular e digital brasileira:

3.9.1 ITeia

No site do ITeia você pode divulgar seus trabalhos com vídeo, imagens, áudio e texto além de conhecer muito da cultura brasileira acesse o site:

http://www.iteia.org.br/

Depois faça seu cadastro lá para difundir sua arte através do link:

http://www.iteia.org.br/cadastro.php

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

4. Software Livre & Arte Gráfica

4.1 Cultura Livre

Apresentação de Slides sobre cultura livre feito pelo Lucasa:

http://www.estudiolivre.org/repo/5033/5033_678-AspectosBasicosCulturaLivre.pdf

Este Site chamado Estúdio Livre reune muitas produções da cultura digital com software livre.
Navegue no sítio, pesquise e faça seu cadastro. Depois descreva ele e sua pesquisa no seu blog.

4.1.1 Licença arte livre

http://artlibre.org/licence/lal/pt/

4.1.2 Outras licenças

Todo o software é publicado sob uma licença. Essa licença define (e até restringe) qual a forma que se pode utilizar o software (números de licenças,modificações,etc). Exemplos de licenças:

* GNU General Public License
* Licença BSD
* Licença Apache
* Licença Comercial
* Licença de software
* Licença de software livre
* Software livre
* Freeware
* Shareware
* Demo
* Trial

fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Software#Licen.C3.A7as

4.1.2.1 Creative Commons

4.1.2.2 Reportagem do RadarCultura explica como funciona essa licença:

http://www.youtube.com/watch?v=Vl7a9De-eo4

4.1.2.3 Site do projeto

http://www.creativecommons.org.br/index.php?option=com_content&task=view&id=56&Itemid=1

4.2 Arte Gráfica

q

4.2.1  Design Grágico/Visual

Por Design Gráfico/Visual entende-se uma forma de comunicar visualmente um conceito, uma idéia, através de técnicas formais, por diversos meios de comunicação existentes (quer impressos, quer digitais, audiovisuais, ou outros). Podemos ainda considerá-lo como um meio de estruturar e dar forma à informação visual, em que, no geral, se trabalha o relacionamento entre ‘imagem’ e texto.

Exemplo de materiais gráficos:

– Stencil (http://estudiolivre.org/tiki-index.php?page=est%C3%AAncil&highlight=)
– Serigrafia
– Cartaz
– Capa de CD
– Zine
– Revista
– Jornal
– …

4.2.2 Apresentação de slides sobre a história das artes gráficas

http://www.slideshare.net/barao/produo-grfica-breve-histria-das-artes-grficas

4.2.3 Formatos de arquivos

Formato ou extensão do arquivos é forma usada por cada tipo de ferramenta (gimp, editor
de texto, editor de planilhas…) reconhecer os dados gerados por ela. Cada aplicativo tem um
formato específico, padronizado ou não para que possa tratar as informações contidas no
arquivo gerado.
Alguns formatos não são compatíveis com determinada ferramenta. Por exemplo o formato
.cdr gerados pelo Corel não abre no seu similar Inkscape. Nesses casos ainda precisamos de
um convertor, no caso o Uniconvertor que é um software útil só para isso.

4.2.3.1 Conheça muitos tipos de formatos no artigo da Wikipédia:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Formato_de_arquivo

4.2.3.2 PDF’s sobre imagem digital

http://www.circodigital.org.br/wordpress/wp-content/uploads/2008/07/formatos_de_imagem2.pdf

http://www.dcmm.puc-rio.br/download/Fundamentos%20da%20Imagem%20Digital.pdf

4.2.4 Teoria das cores

espectrocores

A teoria das cores é um assunto importante a ser estudado por quem trabalha com arte gráfica principalmente digital. De uma olhada nos conteúdos abaixo depois faça como exercício um gradiente de cores no inkscape:
Comece pelo vermelho e passe por todas as cores do arco-íris em ordem.
Você pode optar a forma da paleta, circular, quadrada, retangular, triangular, etc.
Depois publique no seu blog, carregue no link abaixo ou me mande por mail para colocarmos na revista.

4.2.5 Modelos de cor

4.2.5.1 CMYK – Sistema de cores utilizado em gráfica e pigmentos

Do inglês Cyan, Magenta, Yellow, blacK) Ciano, Magenta, Amarelo e Preto.

http://pt.wikipedia.org/wiki/CMYK

4.2.5.2 RGB

Do inglês Red, Green, Blue) Vermelho, Verde, Azul, sistema de cores utilizado
em luzes e, por conseqüência, na eletrônica e recursos visuais eletrônicos como o
vídeo

http://pt.wikipedia.org/wiki/RGB

4.2.5.3 HSB

Do inglês Hue, Saturation, Brightness)

http://pt.wikipedia.org/wiki/HSB

4.2.5.4 RYB

Do inglês Red, Yellow, Blue), Vermelho, Amarelo e Azul;
Sistema histórico de cores e utilizado em artes plásticas, embora cientificamente inexato.

http://pt.wikipedia.org/wiki/RYBHLS – (do inglês Hue, Lightness, Saturation)

4.2.5.5 HSV

Do inglês Hue, Saturation, Value)

4.2.5.6 Lab

Contém um canal “A” um canal “B” e um terceiro “L” designado por lightness’.

4.2.6 Sistema de cores e suas equivalências:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Lista_de_cores

4.2.6.1 Paletas

paleta

******************************************

5. GIMP

– O aplicativo livre GIMP é ideal para edição de fotografias.

11

5.1 Como instalar

5.1.1 Usuários GNU\LINUX

– Para quem usa uma distribuição GNU/Linux ele já está automáticamente instalado. No menu Ubuntu Aplicativos > Gráficos > Editor de Imagens GIMP.

5.1.2 Quem ainda não usa GNU\LINUX

Para quem ainda está usando um software proprietário (MS Windows ou MacOSX) pode baixar na web no

http://www.baixaki.com.br/download/The-GIMP.htm

5.2 Interface gráfica

– Depois de abrir o GIMP você vai notar que sua interface gráfica tem janelas independentes. Isso possibilita que você organize sua(s) área(s) de trabalho como achar melhor.

interfacegrafica

5.3 Versão

versao

– Não é a última versão por que tudo é desatualizável 🙂

mas vamos colaborando na wiki

http://estudiolivre.org/tiki-index.php?page=Usu%C3%A1rio_alissagott

5.4 Ferramentas

ferramentas

– Leia a descrição de cada ferramenta deixando o mouse em cima de cada uma delas por um instante.

5.5 Recursos

5.5.1 Novo documento

Para iniciar a utilização você precisará abrir um aquivo de imagem ou criar um documento novo clicando em arquivo > nova.

Se for editar uma imagem ela deve estar salva no seu computador, de preferência na área de trabalho para você não perdê-la. Para abrí-la no GIMP escolha um dos caminhos:

Ao encontrar o ícone da imagem no seu computados clique com o botão direito em cima dela e escolha a opção abrir com > editor de imagens gimp.

Ou, partindo do GIMP, clique em arquivo > abrir e encontre-a nos seus arquivos.

A imagem abrirá numa janela independente onde você encontrará na barra superior um menu de operações possíveis de serem aplicadas na imagem aberta.

Para iniciar a utilização você precisará abrir um aquivo de imagem* ou criar um documento novo clicando em arquivo > nova.

Se for editar uma imagem ela deve estar salva no seu computador, de preferencia na área de trabalho para você não perdê-la. Para abrí-la no GIMP escolha um dos caminhos:

1. Ao encontrar o ícone da imagem no seu computados clique com o botão direito em cima dela e escola a opção abrir com > editor de imagens gimp.
2. Ou, partindo do GIMP, clique em arquivo > abrir e encontre-a nos seus arquivos.

A imagem abrirá numa janela independente onde você encontrará na barra superior um menu de operações possíveis de serem aplicadas na imagem aberta.

5.5.2 Edição de cores

5.6 Canais de diálago

5.6.1 Camadas

* Clique em janelas > diálogos de encaixe > camadas e você terá em uma nova janela com a visualização das camadas utilizadas na edição da sua imagem. Fique atento na observação de qual camada está selecionada durante cada passo da edição. Por precaução duplique a primeira camada para preservar o original clicando com o botão direito do mouse na ‘camada fundo’ e escolha a opção duplicar camada.

5.6.2 Histórico do desfazer

– Adicione também em diálogos de encaixe a opção histórico do desfazer para voltar vários passos de uma só vez.

5.7 Navegabilidade

5.8 Salvar

Quando você termina uma edição no GIMP deve cliclar em

Imagem > achatar imagem e dapois em arquivo > salvar como.

5.8.1 Resolução

5.8.1.1 Pixel

Veja na apresentação de slides feita no BrOffice impress sobre pixel e arte

pixelivrealissa.odt

link para modo off line: https://ecoaecoa.files.wordpress.com/2009/04/pixelivrealissaodt.ppt

5.9 Exercícios sugeridos

5.9.1 Fractalizando o GIMP

Para fazer seu fractal abra um novo documento no GIMP clicando em arquivo > novo e de ok.
Na barra superior do novo documento clique em filtros > renderizar > explorador de fractais.
Pronto agora você poderá escolher o padrão que quiser clicando em fractais e depois editá-lo em cores e parâmetros. Explore bastante as possibilidades.
Para salvar seu fractal você tem que ir em Imagem > achatar imagem e dapois em arquivo > salvar como.

Salve como o formato jpg ou png após nomeá-lo.

Por fim divugue ele no seu blog.

fract treefree

wellowen

Fractais feitos por Alissa Gottfried usando GIMP

ALERTA: se você ainda não tem facilidade de explorar seus arquivos para encontrar sua imagem escolha sempre a ÁREA DE TRABALHO (AT) ou DESKTOP para não perdê-la. Quando não estiver mais usando as imagens que estiverem na AT, faça uma pasta para guardá-las clicando com o botão direito na AT > novo > pasta ou criar pasta. Para colocar os arquivos dentro dela é só selecioná-los com o botão esquerdo + ctrl e arrastar tudo para dentro da pasta.

IMPORTANTE:
Sempre escolha bons títulos para as pastas, isso facilita as buscas. Você pode criar quantas pastas quiser organizando temas e assuntos por hierárquia na mesma lógica da nossa imagem inicial. Alí mostro a terminologia usada na matemática para definir o Conjunto dos Números Reais. Muitas coisas podemos pensar e estudar sobre esse tema dos conjuntos por exemplo o paradoxo do Conjunto de todos os Conjuntos. Pesquise mais sobre o Conjunto de Mandelbrot que relaciona fractais com a teoria dos conjuntos).

Então voltando um pouco da “viagem” comum na “geração Alt+tab e Ctrl+T”, relacionei todos esses outros assuntos pra falar que cada pasta é como um conjunto onde arquivos estão contidos assim como algumas pastas estão contidas. Pense nisso para organizar seus conteúdos. Acho que essa dica sempre será útil!

Ah! Tudo que você pesquisar nas suas navegações divulgue no seu blog

5.9.2 Cara a Cara com a Pop Arte:

Tire uma foto 3×4 e salve numa pasta do computador.
Depois abra sua foto no gimp e selecione toda a foto com a ferramente de seleção.
Duplique a foto lado a lado depois selecione as suas juntas e duplique abaixo.
Usando a ferramenta de seleção mais funcional para sua foto selecione só o fundo de umas das fotos e escolha uma cor forte para preenchê-lo com o baldinho de tinta.
Faça o mesmo com os cabelos, rosto e roupa escolhendo sempre cores vibrantes e contrastantes.
Repita o exercício nas outras cópias variando as cores de cada área selecionada.
Salve com seu nome só com letras minúsculas e sem dar nenhum espaço escreva poparte depois publique no carregador de arquivos cara a cara com a pop arte.

mosaico

exercício produzido por Oscar Goldman durante o curso de gráfico RS1

5.9.3 Edição de cores e cortes de imagens no Gimp, por Tárcio Fonseca

http://www.cultura.gov.br/site/2008/05/07/edicao-de-cores-e-cortes-de-imagens-no-gimp/

07 de maio de 2008

5.10 Extras

5.10.1 Vídeo-aulas sobre GIMP

– As vídeo-aulas estão divididas em 10 vídeos com baixa resolução para facilitar o acesso mas se você preferir mais qualidade na imagem, faça o download:

5.10.1.1 Assintindo na web – para quem tem banda

– Para assitir as vídeo aulas com baixa resolução on line:

http://www.tuxresources.org/blog/archives/183

5.10.1.2 Download

– Para visualizar as vídeo-aulas com mais definição faça download no link:

http://www.debian-ms.org/~condector/gimp/videos/

5.10.2 GIMPZine

– Faça download de todas as edições da revista especializada em GIMP no link:

http://www.ogimp.com.br/gimpzine/

5.10.3 Site oficial

– Veja também o site oficial do GIMP: http://gimp.org/

5.10.4 Documentação livre

– Blog do Razgriz:

http://razgrizbox.wordpress.com/2009/03/29/producao-grafica-com-software-livre/

§§§§§§§§§§§§§§§§§§

6. Inkscape

– A ferramenta vetorial Inkscape é ideal para fazer logos, motivos para serigrafia, capas de revistas, etc.

inks

INKSCAPE 0.46

6.1 Instalação

Para quem já usa GNU/Linux e não tem o Inkscape visível em APLICATIVOS > GRÁFICOS faça a instalação do aplicativo: No UBUNTU 8.10 o caminho é SISTEMA > ADMINISTRAÇÃO > GERENCIADOR DE PACOTES SYNAPTIC.Clique em PROCURAR, escreva Inkscape e de enter.
Selecione o quadradinho do Inkscape e clique em MARCAR PARA INSTALAÇÃO.
Depois clique no ícone acima APLICAR.
Espere concluir e feche a janela.Pronto agora você encontrará o Inkscape em APLICAÇÕES > GRÁFICOS > EDITOR DE IMAGENS VETORIAIS INKSCAPE* Para quem ainda não usa GNU/Linux ainda poderá baixá-lo no link: http://baixaki.ig.com.br/download/Inkscape.htm

6.2 Interface Gráfica

inkscape01

imagem de Allan Brito

Vejamos o que cada uma dessas partes da interface do Inkscape faz:* Caixa de ferramentas: Nessa parte da interface, encontramos as ferramentas de desenho como as opções para desenhar retângulos e círculos, além de textos e traços livres. Uma ferramenta importante nessa parte da interface é a ferramenta de seleção, representada por uma seta preta. Com essa ferramenta podemos selecionar os objetos e os nós das curvas que criamos.
* Paleta de controle: Aqui encontramos opções para alterar as configurações das ferramentas acionadas na caixa de ferramentas. Por exemplo, quando acionamos a ferramenta para criar retângulos é possível determinar o tamanho dos retângulos.
* Comandos: Essa barra de ferramentas oferece alguns comandos básicos para o Inkscape, como agrupamento de objetos, salvar documentos e imprimir.
* Cores: Nessa opção podemos visualizar as informações de cor para qualquer objeto selecionado na área de desenho do Inkscape. Logo ao lado dessas indicações, podemos alterar a opacidade mestre dos objetos no campo marcado com a letra O.
* Área de desenho: Como você pode perceber, essa é a área em que literalmente desenhamos objetos no Inkscape. Já que estamos trabalhando com Layouts para impressão, uma folha sempre vai representar a área de desenho.
* Paleta de cores: Aqui podemos selecionar de maneira rápida as cores que devem ser aplicadas nos objetos. Para aplicar uma cor, selecione o objeto e clique com o botão esquerdo do mouse sobre a cor desejada.
* Camadas: Nessa parte da interface, podemos controlar as camadas de desenho. Por exemplo, escolhemos a camada ativa e se essa camada está visível. Outra opção muito útil é a de travar a edição de uma camada.
* Zoom: Para finalizar, temos na direita o controle de Zoom. Com ele podemos escolher a porcentagem de Zoom que desejamos visualizar da nossa ilustração.Para ver como funcionam algumas ferramentas assista o vídeo abaixo 2 vezes. Na segunda pare a cada troca de ferramenta para testá-las. Tente fazer o exercício seguindo os passos demosntrado no vídeo.http://www.youtube.com/watch?v=6We68VSkoLU

6.3 Vetor

6.4 Recursos

6.4.1 Efeitos

6.4 Extras

6.4.1  site oficial do Inkscape:http://www.inkscape.org/<#1.0#&gt;

6.4.2 Comunidade brasileira de Inkscape
http://twiki.softwarelivre.org/InkscapeBrasil

6.4.2  Tutoriais:6.4.2.1  Allan Brito

http://www.allanbrito.com/2007/08/06/tutorial-inkscape-interface/

6.4.2.2 Exercício para a impressão no blog do Nerdson:

http://nerdson.com/blog/efeito-halftone

6.5 Exercícios

6.5.1 Como fazer seu cartão de visita usando Inkscape:

exercício:

Como fazer seu cartão de visita usando Inkscape:

A produção de cartões de visita está ligada de forma simples a 3 temas:

-Diagramação,
-Tipografia;
-E a arte/design.

veja a imagem abaixo:

cartao_visita_ok

Este cartão produzido por uma oficinanda de gráfico é um bom exemplo de diagramação para cartões:

– Na parte superior em letras médias está o nome da empresa, entidade, projeto ou instituição na qual você está ligado.
– Do lado no canto direito o logo ou imagem ligada a sue trabalho.
– O seu nome vem mais destacado, é a maior fonte e a tipografia deve ser adecuada a sua personalidade ou trabalho. Essa, no caso, está super de acordo com o logo da Casa Brasil.
– Bem abaixo em um dos cantos você coloca seus contatos, mail e\ou outros.

Você pode usar qualquer imagem se não tem um logo, ou pode desenvolver um mas cuide para não carregar demais poluindo a arte. Um designer limpo facilita a memorização das informações.

———————-
Agora vamos começar:

Primeira coisa no Inkscape é transformar posição do papel em paisagem.
Para isso clique em ARQUIVO . PROPRIEDADE DO DESENHO > PAISAGEM:

paisagem

Agora você pode começar pensando na cor de fundo ou se quer fazer algumas formas com cores. Para isso use a ferramenta para retângulo ou círculo abaixo da lupa na barra de ferramentas.
Depois de fazer a forma arraste os cantos para arredondar (circolozinho) ou diminuir (quadradinho) a imagem:

canto aredondado

Agora clique em OBJETO > PREENCHIMENTO DE TRAÇO para ter sua forma com ou sem preenchimento e escolha a cor.

preenchimento

Explore as possibilidades de paletas clicando em CMYK ou Roda e teste com os gradientes nos quadradinhos do lado do x.

Tendo seu fundo insira a imagem copiando e colando-a no cartão.
Para movê-la e modificar o tamanho da imagem clique na primeira ferramenta da barra na esquerda. A do ícone de seta como o cursor do mouse.

Por fim coloque as informações selecionando a ferramenta de texto da barra com o ícone A.
Clique onde você quer escrever e depois selecione as palavras para continuar editando o texto clicando duas vezes em cima delas.
Para escolher a tipografia da fonte clique em TEXTO > TEXTO E FONTE:

texto

Para mover e aumentar selecione o icone cursor e para trocar de cor é só clicar nas cores da paleta abaixo quase no roda pé da tela.

Quando terminar para salvar clique em ARQUIVO > EXPORTAR BITMAP > EXPORTAR.

Pronto, agora poste no seu blog que já deve estar publicado no fórum Blog Livre contando como foi a experiência, o que usou, o que não conseguiu…

imprimir1

Mas se você quiser imprimir seus cartões ainda não acabou:
Terá que montar em uma A4 em pé uma folha completa de cartões como na imagem abaixo:

imprimir

Para montar sua cartela para impressão abra um arquivo novo no Inkscape, copie o cartão pronto clicando no ícone da imagem onde ela estiver guardada depois é control c e control v na página da cartela até preencher tudo.

Para quem não sabe que control c e control v é copiar e colar pode usar o clique com o botão direito do mouse.

3. Exercício para a impressão no blog do Nerdson:
http://nerdson.com/blog/efeito-halftone/

++++++++++++++++++++

7. Scribus

Possibilidades com ScribusEste programa profissional permite você desenvolver layouts sofisticados de revistas, jornais, impressos publicitários, livros, calendários, ou qualquer outro material gráfico que necessite ser organizado e elaborado para resultar numa impressão com visual agradável.Além disso, Scribus representa uma poderosa ferramenta para criar documentos em PDF, que podem conter recursos avançados como botões, senhas e muito mais!7.1 Diagramação

Veja como essa apresentação de slides pode servir como uma revista web no link abaixo.

Revista especial para web com diagramação simples usando editor de slides BrOffice.org:

www.linuxvswindows.com.br/downloadrevista03.html

Tutorial Nkosi:

http://aulas.nkosi.org/diagramacao/index.html

7.2 Tutoriais

7.2.1 Tutorial do Estudio Livre:http://www.estudiolivre.org/Scribus

7.2.2 Tutorial bastante completo:
http://wiki.scribus.net/index.php/Entendendo_o_Scribus:87.2.3 Por Allan Brito, bem explicativo

http://www.allanbrito.com/2007/08/28/tutorial-scribus-opcao-para-o-adobe-indesign-e-quarkxpress/

1.2 Introdução ao scribus:
http://estudiolivre.org/tiki-index.php?page=scribus#Introdu_o
http://wiki.scribus.net/index.php/Introdu%C3%A7%C3%A3o_ao_Scribus

7.2.4 Veja uma vídeo-aula sobre Scribus no Youtube:

http://www.youtube.com/results?search_query=scribus

7.3 EXTRAS

7.4 Comunidade

Nada melhor para estudar sobre um aplicativo livre do que entrar para sua comunidade. É assim que nos mantemos informados sobre suas atualizações e tiramos dúvidas inclusive com os próprios desenvolvedores do software.
Para entrar para a lista de discussões do Scribus acesse o link:

http://wiki.softwarelivre.org/Scribus.Comunidade#ListaDeDiscussao

Após entrar se apresente e nos falamos lá!

site oficiail:

http://www.scribus.net/

Explore também a Wiki do Scribus

http://estudiolivre.org/tiki-index.php?page=scribus#Introdu_ohttp://wiki.scribus.net/index.php/Entendendo_o_Scribus:1

\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/

8. BrOffice:

Com o editor de texto do BrOffice você produz documentos no formato software livre .odt nativo da ferramenta. Sobre a compatibilidade, a ferramenta lê e salva arquivos no formato .doc (proprietário) mas o Word não lê .odt, porisso torna-se necessário ter o aplicativo instalado no seu pc independe do sistema operacional que esteja usando
Se você tiver o pacote BrOffice.org ainda acesse o link:

http://www.broffice.org/download

8.2 Exercícios

8.2.1 Exercício de apresentação do editor de texto:

8.2.1.1 Abra a ferramenta EDITOR DE TEXTO, veja sua inteface gráfica como a imagem abaixo e estude suas ferramentas e recursos explorando o recurso AJUDA:

Veja os nos destaques abaixo no sentido da esquerda para a direita e observe como são semelhantes a outros editores de texto, o que torna o aplicativo intuitivo:

1. Novo: para iniciar um novo documento;
2. Fonte: tipos de fonte;
3. Tamanho: tamanho de fonte;
4. Negrito / Itálico / Sublinhado
5. Ajuda: Documentação sobre o aplicativo

broffice

8.2.1.2 No recurso AJUDA explore os links da documentação para estudar a as possibilidades do pacote todo trocando escolhendo também o aplicativo: APRESENTAÇÃO DE SLIDES (IMPRESS).

Como na imagem abaixo:

slides_impress

8.2.1.3 Abra a ferramenta do pacote BrOffice,org IMPRESS ou apresentação de slides, siga os passos iniciais propostos automáticamente ao abrir a ferramenta.

Agora vamos criar uma apresentação de slide!
Como tema sugiro que opte por apresentar sua entidade, Ponto de Cultura ou projeto com fotos para explorar a ferramenta.

– Publique no blog, ITeia, Estudio Livre e onde mais você quiser.

\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/

Extra Extra do Extra

Stocks são imagens com direitos de uso livre* (Roialty free) pra usar em trabalhos e coisas do genero sem dor de cabeça* (sim, em alguns sites você deve pagar pela licença da imagem ou assinatura), a não ser pela resolução de algumas imagens e em alguns casos qualidade da imagem)
Plus:

Stocks

* http://www.sxc.hu ( incrível um dos melhores, é necessário criar uma conta pra poder baixar as imagens, mas não se preocupe já que não enviam emails e ou cobram por isso.)
* http://www.freeimages.co.uk/ (Site meio confuso mas não necessita cadastro)
* http://morguefile.com (Não necessita cadastro)
* http://www.texturewarehouse.com/gallery/index.php (Não necessita cadastro)
* http://www.mayang.com/textures/ (Não necessita cadastro)
* http://www.photocase.com/de/ (Necessita cadastro e é pago, porém não é caro e dependendo do que se faça até vale o preço, cerca de 10 euros por 10 fotos.)
* http://www.studio25.ro/ (Necessita cadastro e é gratuito.)
* http://www.istockphoto.com/index.php (É caro e pago, mas vale o preço.)
* http://www.deviantart.com ( Digite “stocks” no campo de busca e não esquece de ver a licença de uso da imagem, aproveite também e crie uma conta no site, dai você pode usar o espaço para colocar seu portfólio e ou ser avaliado pelos outros artistas afim de melhorar a sua performance.)
* http://www.gettyimages.com ( Se o cliente ou vc for rico… é uma boa pedida.)
* http://banco.agenciaoglobo.com.br/Pages/Capa/ (Se você tiver realmente muito dinheiro ou o seu cliente tiver, vale ao menos uma consulta.)
* http://www.sgeier.net/fractals/flam3/ (Fractais prontos gratuitos, são uteis em certas situações.)
* http://www.logotypes.ru/ (Logomarcas diversas de empresas famosas, o idioma padrão é russo mas há opção para inglês.)
* http://www.brandsoftheworld.com/ (Logomarcas do mundo inteiro..).

Fontes

* http://www.dafont.com (Site francês muito bom, tem quase de tudo)
* http://www.fontesgratis.com.br (Só os banners que são chatos mas é muito bom.)
* http://www.netfontes.com.br/ (Razoável mas meio mais ou menos)
* http://www.abstractfonts.com/ (O nome já diz…)
* http://www.1001freefonts.com/ ( Tem algumas coisas bem originais mas tem que ter paciência pra procurar)
* http://www.brandsoftheworld.com (Aqui tem em formato “eps” tudo quanto for logomarca de empresas famosas, bem útil pra trabalhos universitários)
* http://www.searchfreefonts.com/categories/21/ (Muito bom)
* http://creamundo.com/ ( Do mesmo nivel dos outros mas vale a pena quando se tem um pingo de paciência)
* http://www.acidfonts.com/ (Bem razoável)
* http://www.fontfreak.com/ (Como diria um amigo que é dono de lanchonete onde o povo almoça todo dia: Tem? Claro que tem ué!)
* http://neatfonts.com/ (Mais do mesmo acima.)
* http://www.agenciabrasil.gov.br/ (Este aqui é uma jóia, imagens em alta resolução de uso livre proporcionadas pela agência do governo!=])

Pincéis:

http://www.deviantart.com ( Digite “Gimp Brushes” ou “Photoshop Brushes”*(sim o Gimp aceita os pinceis feitos para o programa citado.).Aproveite também e crie uma conta no site, dai você pode usar o espaço para colocar seu portfólio e ou ser avaliado pelos outros artistas afim de melhorar a sua performance.).

\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/

9. Exercício final

9.1. Pense em um assunto, algo que queira falar.
Qualquer assunto por exemplo o trabalho desenvolvido pela organização que o indicou.

9.2. Pesquise sua escolha, conversando sobre, fazendo buscas na web (www.google.com), observando e escutando o quê o “mundo” fala sobre esse assunto.

9.3. Organize sua idéia no tipo de ordem que desejar, por exemplo uma apresentação de formas de resistência (adaptação e reelaboração do meio) ou tecnologias sociais (empreendimento comunitário acessível e acessor da “organização” popular).

9.3.1 Copie sempre o link de onde você pesquisou o assunto escolhido.

9.3.2 Opções de arte no gimp:
Faça uma imagem, foto ou poesia concreta relacionado ao seu tema.

9.3.3 Se decidir buscar uma imagem na web observe sempre se o símbolo copyright copyright. Se a imagem ou conteúdo estiver ligada a esse símbolo não use.
Se tiver o símbolo copyleft copyleft pode usar mas copie o nome do autor e o link de onde você encontrou o que procurava.

9.4. Salve a imagem no desktop ou área de trabalho do seu computador.

9.4.1 Abra o pacote broffice/editor de texto e escreva qualquer coisa sobre seu assunto proposto. Faça um resumo inicial, uma síntese apresentendo suas idéias-árvores em sementes-conceitos ( Fluxograma ou mapa mental).

9.4.2 “Linke” sua idéia colando o endereço (link) dos referênciais encontrados na pesquisa ou coloque a foto que você fez clicando na opção do lado superior do editor de texto broffice: Inserir/figura/do arquivo.
Coloque a imagem ou foto sobre seu tema na página do broffice e logo abaixo cole o nome do autor e link do lugar onde a encontrou. Se for você o autor fica ao seu critério colocar seu nome e definir como copyleft ou copyright.

9.5. Se não conseguir copiar a foto no seu computador tecle em Print Screen SysRq (lado superior direito no teclado) e salve a imagem na área de trabalho.

9.6 Abra o gimp e usando a ferramenta de recorte focando no que interessa mesmo.
Edite a luz e cor da foto na opção no lado superior: ferramenta/ferramenta de cor/níveis e
ferramenta/ferramenta de cor/matiz-saturação.

9.7 Organize (diagrame) seu texto conforme preferir em relação a imagem no editor de texto broffice.

\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/

#. Créditos

#.1 Curso inspirado e baseado em

#.1.1 Artigos dos Direitos Humanos:

#.1.1.1 Artigo XXVII
1. Todo ser humano tem o direito de participar livremente da vida cultural da comunidade, de fruir das artes e de participar do progresso científico e de seus benefícios.
2. Todo ser humano tem direito à proteção dos interesses morais e materiais decorrentes de qualquer produção científica literária ou artística da qual seja autor.

#.1.1.2 Artigo XXVIII
Todo ser humano tem direito a uma ordem social e internacional em que os direitos e liberdades estabelecidos na presente Declaração possam ser plenamente realizados.

#.1.1.3 Artigo XXIX
1. Todo ser humano tem deveres para com a comunidade, na qual o livre e pleno desenvolvimento de sua personalidade é possível.
2. No exercício de seus direitos e liberdades, todo ser humano estará sujeito apenas às limitações determinadas pela lei, exclusivamente com o fim de assegurar o devido reconhecimento e respeito dos direitos e liberdades de outrem e de satisfazer as justas exigências da moral, da ordem pública e do bem-estar de uma sociedade democrática.
3. Esses direitos e liberdades não podem, em hipótese alguma, ser exercidos contrariamente aos objetivos e princípios das Nações Unidas.
http://ww w.onu-brasil.org.br/documentos_direitoshumanos.php

#.1.2 Curso de Gráfico do Estudio Livre

http://estudiolivre.org/tiki-index.php?page=Softwares+de+Gr%C3%A1fico

#.1.3 Projeto de pesquisa Casa Brasil
http://www.casabrasil.gov.br/oficinas/files/OficinaArteDigital-ManualParticipante.pdf

#.2 Elaborado por

#.2.1 Alissa Gottfried

Educadora do Pontão Minuano\ASL\FERES

Ponto de Cultura Odomodê\Pontinho Curiosa’idade

alissa@softwarelivre.org



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

et cetera
%d blogueiros gostam disto: